dpvat
Utilidade Pública

Como conseguir o seguro DPVAT, pago junto com o IPVA

1 451

O DPVAT é um seguro oferecido pelo DETRAN de todo o Brasil, para indenizar pessoas que sofrem aglum tipo de acidente envolvendo veículos automotores terrestres. Para saber mais sobre este seguro, clique aqui.

Atualmente, eu sofri um acidente de moto, por erro de um taxista inprudente (o que não é raro), não acredito em conto de fadas e sei que ele não aceitará acordo e este processo correrá por um bom tempo, ainda mais por ele responder como ato criminal (mesmo sem a intenção de cometê-lo), uma vez que ele é um motorista profissional. Por isso, tentarei correr atrás do prejuízo atravaés do DPVAT.

Neste acidente eu quebrei a clavícula, tive que fazer uma cirurgia para reparar meu hombro, tendo assim, que ficar 2 meses sem poder voltar efetivamente ao trabalho.

Como todos sabem, nós pagamos obrigatoriamente este seguro junto com o IPVA de nossos veículos, mas quase ninguém sabe, como podemos retirar essa indenização.

Vou tentar, a partir de hoje (26/11/2010), correr atrás do meu seguro DPVAT e conforme eu for passando pelas etapas, vou orientando aqui no Sabe Como Fazer, quais os procedimentos que eu fiz. Quase que em tempo real.

1 – Entrei no site do Seguro DPVAT e cliquei no link “como solicitar a indenização“.

2 – Coloquei a data do meu acidente, no meu caso, dia 11/11/2010, e obtive a resposta de que tenho 3 anos para correr atrás da indenização. Ótimo, vamos continuar o processo.

3 – Em seguida, lí o importante comunicado no site, no qual, colo aqui para vocês:

“Para solicitar a indenização, basta apresentar os
documentos na seguradora que você escolher

Solicitar a indenização do DPVAT é simples, dispensando a interferência de terceiros. Se você é o principal interessado na indenização, cuide dela você mesmo. Ninguém melhor que você para preservar os seus direitos. Consulte aqui os pontos de atendimento que você tem a sua disposição para dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT.”
- Retirado do próprio site do DETRAN – DPVAT

4 – Cliquei no link solicitado acima, e escolhi meu estado e minha cidade, recebí uma lista de seguradoras na qual poderia dar entrada em meu processo e escolhi a mais perto de casa.

5 – Separando a documentação como orientado no texto abaixo, retirado do site:

Com a documentação completa, tudo é mais rápido e fácil

A relação de documentos varia conforme o tipo de indenização pleiteada. Há, portanto, uma lista diferenciada de documentos para os casos de morte, invalidez permanente e despesas médicas e suplementares (DAMS). Consulte aqui a documentação necessária.”

Após preencher o pequeno formulário contido no site para expecificar meu tipo de acidente, o próprio site me orienta um valor máximo que eu posso receber com o tipo de acidente que tive (não significa que ganharei isso.

Achei que tivesse juntado todos os documentos, e fui até a seguradora mais próxima. Como eu tenho plano de saúde e não arquei com despesas médicas, muito menos guardei as notas fiscais dos remédios, eu só pude dar entrada no seguro por “invalidez”. Mas, como falei, eu achava que tinha em mãos, todos os documentos, mas ficaram falatando alguns, como laudo da perícia do IML, Boletim de Ocorrência original ou cópia autenticada em cartório, com a assinatura dos policiais responsáveis pela ocorrência, faltou o BAM, um documento dado pelo hospital no qual você foi socorrido de primeira, uma espécie de laudo médico e por último, um documento que não estava na lista dada no site, um extrato bancário para comprovar o número da conta de quem vai receber o dinheiro.

Fui ao Miguel Couto e dei entrada no BAM, este demorou 30 dias para ficar pronto, logo depois, levei o BAM até o policial que estava cuidando do meu caso e ele rapidamente deu entrada na perícia, mas a perícia foi baseada no laudo médico, portanto, eu tive que ir ao IML, como a solicitação de perícia em mãos , para o médico avaliar a fratura em relação a avaliação escrita no laudo (vale ressaltar que esta solicitação, após assinatura e carimbo da polícia, ela só vale por 72h).

O Bom do IML é que funciona 24h e você pode fazer a perícia em qualquer horário, no meu caso, eu fui por volta de 1h da manhã, e mesmo assim, demorei uma hora pra ser atendido, e só tinha eu e mais uma pessoa na sala de atendimento (vai saber…). Mas, como “eles” (burocratas políticos) não querem que você tire o DPVAT, e fazem de tudo pra te fazer desistir, o médico do IML,  por mais atencioso que tenha sido, veio com uma história de que eu precisava de um documento que confirmasse que a cirurgia no hombro foi relacionada ao acidente, por eu tê-la feito somente alguns dias depois,  e não próximo a data do acidente. (vale lembrar que o Miguel Couto não colocou no BAM a gravidade da fratura, e como usaram uma tipóia, entende-se que o acidente não foi grave).

Em fim… Agora vou tentar correr atrás do médico que me operou (certamente ele não lembrará da minha cara, pois trabalha na emergência e faz N cirurgias por mês), tentarei consgeuir uma declaração de que a operação foi referente ao impacto do acidente, conseguindo isso, volto no IML e concluo a perícia, e mais informações, vou postando aqui, para que no final, haja realmente, um post de utilidade pública.

Espero ter ajudado a exclarecer alguns pontos. O caso ainda não se concluíu, mas conforme as coisas forem desenrolando, eu vou postando aqui, o desfecho desta história, e assim, tentar auxiliar outras pessoas que tiveram problemas semelhantes e buscam seus direitos.

Obs.: Fui internado no Hospital São Lucas (Copacabana – Rio de Janeiro-RJ), pelo plano de saúde, e este parece um hotel 5 estrelas (bem difícil de conseguir vagas), e olha que eu fiquei em infermaria de 2 leitos, o único problema é a barulhada nos corredores muitas vezes causada pelos próprios enfermeiros. Pena que nem todos tem acesso a este tipo de serviço e qualidade. No dia do acidente fui internado no Miguel Couto, mas como não fiquei muito tempo por lá, não tenho uma opinião formada sobre a qualidade do tratamento, tive alta em 3 horas, os médicos colocaram uma tipóia feita de atadura e disseram que mantendo repouso, 45 dias estaria show, mas como vocês puderam ler, a operação seria necessária de acordo com a gravidade da lesão.

About the author / 

Herick Correa

1 Comment

  1. Marivan 4 de dezembro de 2010 at 14:42 -  Responder

    Passei para te dar as boas vindas,
    te adicionar como amigo,
    seguir suas noticias e te desejo sucesso na divulgação e nas postagens,
    Abçs Marivan

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

2 × 1 =